O segredo de fazer a coisa certa no momento exato

 

GERALD STANWELL

Da edição de outubro de 1984 dO Arauto da Ciência Cristã

Um dos segredos de fazer a coisa certa no momento exato é o de perguntarmo-nos: De que maneira a atividade em que estou para dispender tempo reflete as qualidades de Deus? Acarretará ela o bem a outros, assim como a mim mesmo?

Estas perguntas não são restritivas. Permitem uma esfera de ação infinitamente ampla. Mas excluem inércia, egoísmo ou atividade maldosa. Como parte da interpretação metafísica de “dia”, a Sra. Eddy escreve: “Os objetos do tempo e dos sentidos desaparecem na iluminação da compreensão espiritual, e a Mente mede o tempo de acordo com o bem que se desdobra.” 1

Quando estamos ocupados apenas com o desdobramento de algo bom, belo, digno, raramente temos tempo a desperdiçar. Nem é o tempo fator decisivo. Podemos refletir, com conforto para todos os que possam estar envolvidos na atividade que temos em vista exercer, que a Mente, ou Deus, é a fonte de todo o bem associado com o empreendimento.

Desde o começo, então, podemos ter a certeza de que a Mente onisciente frustra quaisquer pressões ou restrições oriundas do tempo. Colocar essa convicção em prática é o segredo de fazer a coisa certa no momento exato, até mesmo no mais ínfimo detalhe.

Desde o começo precisamos afastar o olhar das limitações temporais e voltarmo-nos, de todo o coração, à Mente imortal. Tentar fazer várias coisas ao mesmo tempo resulta de aceitar-se a suposta tirania do tempo; sugere a crença de que Deus não tem controle sobre o que acontece. Mas a Ciência Cristã explica e demonstra que tudo o que é digno está inteiramente sob o cuidado do Amor. Nada está fora do governo divino. A totalidade do Amor impede a necessidade de reagir com medo, visto que tudo o que poderia suscitar medo deve ser irreal — desconhecido para a Mente, ou o Espírito. O controle do Amor divino inclui nosso reflexo seguro da realidade abençoada e infinita de Deus.

Outro segredo de fazer a coisa certa no momento exato está em avaliarmos honestamente quanto de vontade humana, em contraste com o reconhecimento necessário da vontade perfeita da Mente, está pretendendo governar nosso pensamento. A vontade própria é uma armadilha que pode induzir-nos a dar passos antes da hora ou tarde demais. Procurar conhecer a vontade da Mente é usar boa dose de discernimento correto e oportuno.

Muitos acontecimentos relatados na Bíblia indicam decisões tomadas no momento exato. Esse acerto inspirado tem estreita ligação com a obediência à orientação infalível de Deus. Por exemplo, o livramento dos israelitas, que fugiam do exército de Faraó no Mar Vermelho, justificava dramaticamente sua obediência e simultaneamente repreendia o desafio dos egípcios. 2

Talvez a admoestação mais enérgica contra a procrastinação seja dada por Cristo Jesus na parábola das dez virgens. A sabedoria indispensável da pronta preparação espiritual e a frustração total, muitíssimas vezes resultante do atraso, são os temas dessa parábola.

Jesus comparou o reino dos céus a dez virgens que foram ao encontro do noivo. Cinco eram sábias e se prepararam antecipadamente. Cinco eram néscias e não se preveniram com antecedência. O preparo das sábias pode ser comparado ao reabastecimento de nossa lâmpada com o óleo celestial da inspiração que assim estaria disponível para uma necessidade inesperada. As virgens sábias estavam cientes de que não havia como substituir a inspiração depauperada, particularmente quando esta se fazia mais necessária. O segredo de fazer a coisa certa no momento exato em nossa disposição de aceitar o Cristo, a Verdade, é simplesmente: melhor agora do que mais tarde. Ou, como Jesus o expressa ao interpretar a parábola aos seus ouvintes: “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir.” 3

A mente mortal, a assim chamada mente que pretende operar na matéria e por motivos materiais, deixa de alcançar o progresso espiritual divinamente inspirado. Nosso melhor curso é ceder cada vez mais completamente à orientação da Mente. O momento exato inspirado não vem nem cedo demais nem tarde demais. A lei de Deus mostrou o momento exato de entrar no dividido Mar Vermelho, de gritar em conjunto à volta do muro de Jericó ou destroçar um exército ímpio, com os trezentos homens escolhidos por Gideão. 4

Quando, em nossa atividade, se acha incluído o desenvolvimento ou a evolução do bem, é imperativo que aumente nossa confiança na Mente que tudo sabe.

Isto é particularmente verdadeiro no caso de companheirismo humano. O principiante por demais zeloso talvez não faça caso da convicção que procede da espera paciente para que a Mente desvende a ação a tomar. O aumento de divórcios e outras dificuldades de relacionamento tornou ainda mais imperativa a necessidade da orientação harmoniosa do Amor divino.

Até mesmo a mais vaga tentativa de voltarmo-nos à Mente em busca de sabedoria e de orientação, abençoa-nos. Em minha própria vida tive ambos os resultados, o menos-que-perfeito de não esperar tempo suficiente e a ilimitada bênção de esperar para certificar-me da orientação da Mente.

Seja qual for o desejo que procede do coração, o voltar-se lealmente da vontade própria para Deus haverá de remover o obstáculo de nossos mais caros planos e os conduzirá por canais inteiramente novos, trazendo novas amizades ou oportunidades comerciais.

Nem é esta obediência à Mente única difícil ou árdua. Antes pelo contrário, é natural e normal para tudo o que há de melhor em nós. Resumindo, viver em completa concordância com o plano de Deus é prerrogativa de Seu homem perfeito, ou idéia, e não existe outro homem. Ao demonstrar que estamos fazendo a coisa certa no momento exato, estamos ilustrando nossa unidade com Deus. O homem, como reflexo espiritual de Deus, inclui obediência completa ao “original” que ele reflete. Nossa compreensão desse fato manifesta-se humanamente em trabalho satisfatório, em outros projetos e nas relações humanas.

Durante a mocidade fui muito ativo no campo das artes na Inglaterra — talvez ativo demais! Assim, fui procurar orientação de um Cientista Cristão que era perito no meu campo de trabalho. Recomendou-me ele que, por algum tempo, eu eliminasse muito do meu trabalho criativo, de modo que pudesse completar certos estudos. Reconhecendo a sabedoria de Deus nesse conselho, pus de lado todos os outros planos até obter o diploma. Então senti, outra vez, o desejo de empreender algo criativo, fazendo algo que havia tentado fazer anteriormente. Pensamentos novos me ocorreram. O trabalho que apresentei para o festival de dramas obteve o troféu de prata para o melhor texto. Este sucesso e outros que se seguiram, por certo vinham de eu ter confiança mais científica na orientação perfeita de Deus.

O segredo de se fazer bem e sabiamente a coisa certa no momento exato é algo sabido; não se encontra encerrado num mistério teológico. Saber quando se deve fazer algo resulta da obediência ao Espírito, não à matéria. Numa palestra sobre obediência, a Sra. Eddy diz: “Segundo meu calendário, o tempo de Deus e o dos mortais divergem. O neófito tende a ser demasiado apressado ou lento demais: trabalha um tanto no escuro; e, algumas vezes, fora de tempo, haveria de procurar reabastecer sua lâmpada à meia-noite e tomar emprestado óleo de alguém mais previdente do que ele.” E, mais adiante, acrescenta: “Os desobedientes dão seus passos antes que Deus dê os Seus, ou os dão tarde demais para segui-Lo. Certifique-se de que Deus dirige o seu caminho; então, apresse-se a seguir sob quaisquer circunstâncias.” 5

Não importa quão deprimido alguém possa estar a respeito do resultado de um certo plano, seus esforços para ser mais obediente a Deus hão de trazer resultados e não darão causa a desapontamentos.

1 Ciência e Saúde, p. 584.  2 Ver Êxodo 14:21–29.  3 Mateus 25:13 (conforme a versão King James).  4 Ver Josué 6:1–20; Juízes 7:2–22.  5 Miscellaneous Writings, p. 117.

Anúncios

Sobre Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS

A Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS, Brasil, foi fundada em 1957. Tendo sido iniciada décadas antes como um Grupo Informal e mais tarde, uma Sociedade de Ciência Cristã. Ela foi fundada por famílias de alemães, dentre as quais: Schmidt, Holderbaum, Trentini, Bopp, Mutzberg, Young, Klein, Hamman, Knor, Bier, Beier, Wendt, Völker, Fhurmeister, Heckrath, etc... Conheça mais sobre a historicidade no Arquivo Histórico Digital da Ciência Cristã no Brasil: http://sites.google.com/site/arquivocienciacrista/
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s