O emprego adequado para você

Sarah Chapman Eastman

Da edição de maio de 1995 dO Arauto da Ciência Cristã

Todos Nós Estamos empregados. Sim, agora mesmo, em cargos especialmente apropriados para cada um de nós. Nosso empregador é Deus, o trabalho é bem remunerado e propicia plena realização. Nosso Pai celestial tem trabalho para todos nós e nunca nos coloca em lugar impróprio. Nunca podemos ser despedidos desse emprego e ninguém pode nos tirar o trabalho que nós temos para fazer. Um Deus infinito, bom, deve ter um suprimento infinito de funções úteis para cada uma de Suas idéias.

A Bíblia nos diz que Deus criou o homem à Sua própria semelhança, homem e mulher. Diz que Ele os abençoou e deu-lhes o seguinte trabalho: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, e sobre todo animal que rasteja pela terra.” 1 Comentando essa passagem, a Sra. Eddy escreve emCiência e Saúde: “O Amor divino abençoa suas próprias idéias e faz com que se multipliquem — com que manifestem o poder de Deus. O homem não é feito para lavrar a terra. Seu direito inato é domínio, não servidão. Ele é senhor da crença de haver terra e céu e está subordinado unicamente a seu Criador.” 2

O propósito de Deus para você e os talentos especiais que você tem devem estar de acordo entre si. Assim como cada um dos raios do sol ocupa seu próprio lugar na emanação da luz solar, assim o homem individual, como imagem e semelhança, ou reflexo, de Deus, tem um papel especial a desempenhar na expressão infinita da Divindade. Seria impossível existir um lugar vazio ou um raio fora de lugar, na irradiação da luz do sol. É igualmente impossível à Mente divina ter uma idéia vã, inadequada ou sem propósito.

O homem, sendo a idéia inteiramente espiritual que Deus criou, expressa domínio e propósito. Em realidade, não pode estar sujeito a uma economia instável, à idade, à doença, a defeitos de caráter ou limitações de escolaridade ou de talento. A expressão da Mente divina, isto é, você e eu, em nossa identidade espiritual e verdadeira, está altamente qualificada para glorificar a Deus. Agora mesmo. Não estamos despreparados nem temos qualificações em demasia para servir a Deus. Como essa é a verdade sobre o homem, ela pode ser demonstrada. Não há necessidade de você permanecer desempregado por tempo indefinido, nem subempregado, nem preso a um emprego onde não está satisfeito. Você pode começar um trabalho satisfatório hoje mesmo.

Existe muita procura por qualidades tais como honestidade, alegria, persistência, ordem, paciência, fidedignidade e gentileza. Podemos fazer com que essas qualidades façam parte de nosso trabalho agora mesmo. Não temos de mudar de emprego nem mesmo precisamos ir até um local de trabalho para expressá-las. As qualidades provenientes de Deus não dependem do ambiente físico. Como elas conduzem o pensamento a Deus, ao expressá-las alcançamos uma perspectiva mais clara de nosso relacionamento com Deus e uma compreensão melhor de nosso propósito.

Quando aparecem os desafios, é de grande ajuda procurar aprofundar o significado dessas qualidades. Tomemos, por exemplo, a honestidade. É essencial que haja no local de trabalho uma elevada conduta moral e ética e podemos nos orgulhar de nosso padrão de integridade. Mas, quão honestos somos em relação às nossas orações? A oração eficaz inclui confiança genuína no cuidado que Deus tem por nós. Confiamos realmente nEle para suprir cada uma de nossas necessidades? Ou declaramos que Deus é onipotente e ao mesmo tempo desesperamo-nos com nossa situação? Será que num instante vemos a Deus como fonte de nosso suprimento e no instante seguinte nos preocupamos com o saldo bancário? Se desejarmos honestamente servir a Deus, colocaremos a vontade humana de lado, com humildade. Não mais mediremos materialmente, seja o progresso, seja a falta dele, e teremos total confiança em Deus. Então, veremos com clareza o próximo passo a dar.

A alegria é outra qualidade que precisamos expressar mais amplamente. Talvez achemos que é impossível sentir alegria, enquanto não se modificarem as circunstâncias. Isso seria o mesmo que dizer que as circunstâncias humanas, ou a mente humana, podem impedir o Amor divino de ser expresso. Mas Deus é de fato tudo e está sempre presente, portanto, não existe hora nem lugar onde o Amor onipotente não possa ser sentido. Mesmo nas situações mais difíceis e desanimadoras, podemos encontrar alegria nas evidências, ainda que modestas, do amor que Deus tem por Seu universo. Pode ser algo tão simples como uma flor colorida, brotando em meio às pedras cinzentas, ou sorrisos trocados com um transeunte numa rua movimentada da cidade. Pequenas alegrias, reconhecidas e apreciadas, abrem cada vez mais nosso pensamento para a abundante alegria espiritual que está à nossa disposição agora mesmo.

Há alguns anos, empreguei-me temporariamente, durante o verão, em um departamento de uma grande organização. O verão passou, depois o outono, e eu ainda me encontrava ali. Mas não me sentia feliz. O que mais me aborrecia era que meu cargo, bem como todos os outros naquele departamento, nada tinha a ver com o curso universitário que eu acabara de completar.

Minha oração para que Deus me guiasse foi acompanhada de empenho no sentido de expressar melhor as qualidades divinas, ali onde me encontrava. Por exemplo, a irritação que sentia, por ser obrigada a fazer tarefas mais humildes, deu lugar a maior disposição para servir os outros, e a tentação de me queixar ou de criticar foi substituída pelo reconhecimento e apreciação do bem que podia encontrar a cada dia. Comecei também a procurar outro emprego fora da organização.

Um dia, conversei a respeito de meus planos com um Cientista Cristão experiente. Citei com superficialidade parte de uma frase de Ciência e Saúde: “Tudo o que abençoa um, abençoa todos”. Meu sábio amigo, entretanto, interrompeu-me. “Leia a declaração inteira”, disse ele. “Ela diz: ‘Na relação científica entre Deus e o homem, descobrimos que tudo o que abençoa um, abençoa todos, como Jesus o mostrou com os pães e os peixes — sendo o Espírito, não a matéria, a fonte do suprimento.’ ” 3 Ele destacou as palavras “na relação científica entre Deus e o homem” e ajudou-me a ver quão importante era eu ter a noção correta sobre meu relacionamento com Deus. Comecei a compreender que eu nunca posso estar separada do meu verdadeiro “trabalho” de glorificar a Deus, porque o homem está eternamente unido a Deus, como Sua expressão. Foi isso que Cristo Jesus veio nos mostrar. Compreendi que quando purificamos o motivo que temos para procurar emprego, sentimos a proximidade de Deus, encontramos satisfação e somos guiados ao trabalho de que gostamos. Descobrimos também que o trabalho realmente abençoa a todos, porque o poder que o ampara é o Espírito, não a assim chamada inteligência material ou vontade humana.

Nos dias que se seguiram, ponderei essas verdades espirituais. Orei humildemente, dessa vez pronta para fazer o que Deus queria que eu fizesse. Não era um sentimento de resignação, algo como: “Se é isso que você quer que eu faça, Pai, eu o farei, mesmo detestando.” Não foi assim. Eu sabia que fazer o trabalho de Deus traz sua recompensa durante o próprio curso da ação. Como poderia ser de outra forma? Seja o que for que estejamos fazendo, podemos expressar as qualidades de Deus, tais como a alegria, a paz e o amor. A insatisfação, a discórdia ou o medo não podem coexistir com essas qualidades.

Logo fiquei sabendo de uma vaga em outro departamento da mesma organização, um cargo que requeria exatamente minha experiência e treinamento. Seguiram-se muitos anos felizes nesse novo setor. Mas o aspecto mais surpreendente dessa bênção, para mim, foi que várias de minhas tarefas eram trabalhos específicos encaminhados pelo departamento onde eu estivera anteriormente. Sem dúvida, foi uma bênção tanto para mim quanto para aquele departamento e para todas as pessoas afetadas pelas atividades deste.

Ao nos volvermos sinceramente ao Pai em busca de direção, dia a dia, vemos a todo momento como expressar qualidades baseadas no Cristo, em cada tarefa que nos é dada. Sabendo que refletimos a criatividade da Mente divina, nunca sentiremos falta de idéias sobre como servir a Deus e à humanidade. Pode ser que o próprio fato de estarmos temporariamente desempregados ou insatisfeitos com nosso emprego atual seja um sinal do Amor divino, instandonos a buscar um senso mais elevado de serviço. Podemos encontrá-lo no próprio local de trabalho atual ou em outro, e usar habilidades que já possuímos ou que aprenderemos mais tarde, mas isso não é indispensável para se ter satisfação no trabalho.O importante é honestamente colocar em primeiro lugar o ato de servir a Deus. Então, inevitavelmente, constataremos que nosso trabalho é completa e abundantemente recompensado.

1 Gênesis 1:28.  2 Ciência e Saúde, pp. 517–518.  3 Ibidem, p. 206.

– See more at: http://pt.herald.christianscience.com/portugues/edicoes/1995/5/045-05/o-emprego-adequado-para-voce#sthash.0la2vVF6.dpuf

Anúncios

Sobre Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS

A Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS, Brasil, foi fundada em 1957. Tendo sido iniciada décadas antes como um Grupo Informal e mais tarde, uma Sociedade de Ciência Cristã. Ela foi fundada por famílias de alemães, dentre as quais: Schmidt, Holderbaum, Trentini, Bopp, Mutzberg, Young, Klein, Hamman, Knor, Bier, Beier, Wendt, Völker, Fhurmeister, Heckrath, etc... Conheça mais sobre a historicidade no Arquivo Histórico Digital da Ciência Cristã no Brasil: http://sites.google.com/site/arquivocienciacrista/
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s