Ciência Cristã — Um tratamento de saúde confiável Christine J. Driessen

MATÉRIA DE CAPA

Da edição de novembro de 2007 dO Arauto da Ciência Cristã

Compartilhe este artigo por e-mailshare via facebook

Um tratamento de saúde confiável, econômico, prontamente disponível a todos — essa é uma questão importante para todos nós e, especialmente para os legisladores e instituições de assistência à saúde. Contudo, a despeito dos avanços tecnológicos na área médica, muitas pessoas ainda não têm acesso a um plano de saúde ou, caso o tenham, essa assistência nem sempre é confiável.

Quando meu tio era jovem e servia na força aérea, minha avó recebeu um telefonema informando que ele havia contraído meningite espinhal, que havia recebido tratamento médico, mas que agora estava em coma. Eles não poderiam fazer mais nada por ele. Disseram que não sobreviveria.

Minha avó telefonou para um praticista e capelão da Ciência Cristã, que prestava ajuda espiritual a militares, durante a II Guerra Mundial. Ele foi ao Hospital Militar e deu tratamento pela oração. Isso aconteceu em uma sexta-feira. Na terça-feira da semana seguinte, meu tio estava fora do coma. Na ocasião, os médicos disseram que mesmo que saísse do coma, talvez não conseguisse pensar e agir normalmente. Entretanto, o praticista e minha avó continuaram a orar até ele ficar completamente curado. Além disso, meu tio se destacou tanto em sua terapia e treinamento, que se tornou um piloto de um B-17 (conhecido como Fortaleza Voadora da II Guerra Mundial).

Minha família ficou muito grata ao vivenciar um tipo de tratamento de saúde confiável e eficiente: um cuidado imediato do qual ninguém pode ser privado, porque é uma medicina disponível a todos, a medicina da Mente, ou Deus, a inteligência do universo, divina e criativa.

Sei disso com certeza porque minha família tem confiado exclusivamente nesse método de cura há quatro gerações. Constatamos que ele é muito rápido, eficaz e confiável. A Bíblia nos assegura no Salmo 46: 1-2, 10: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações. Portanto, não temeremos… Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus” — sabei que Deus, o Espírito divino, é todo-poderoso e cuida amorosamente de Sua criação. Isso inclui a todos nós, não importa a qual religião pertençamos.

Como aconteceu essa cura? Como a Ciência Cristã pôde curar quando o tratamento médico havia esgotado seus recursos?

A Ciência Cristã está inteiramente fundamentada nos ensinamentos e na obra de cura do maior sanador que viveu na terra, Cristo Jesus, que curou todo tipo de problema físico, quer fosse agudo ou crônico; sazonal ou terminal; congênito, contagioso ou hereditário. Suas curas ocorriam pela confiança única no poder do Espírito, Deus, ao invés de nos tratamentos fundamentados em recursos materiais.

Jesus também curava problemas físicos de longa data, que haviam desafiado todos os tipos de tratamento, por exemplo: uma mulher que sofria de hemorragia durante 12 anos; uma outra mulher que andava encurvada durante 18 anos; um homem incapacitado durante 38 anos; e todos foram curados instantaneamente. Ele também ressuscitou pessoas da morte: uma garotinha de 12 anos, um jovem sendo levado para sua tumba, Lázaro, que estivera enterrado por quatro dias, todos instantanemente restaurados à vida, por meio do poder sanador do Cristo.

Jesus disse que todo aquele que seguisse seus ensinamentos poderia curar como ele o fazia e, até mesmo, fazer obras maiores.

De fato, Jesus revelou o “Cristo”, por meio de sua obra de cura. Quando João Batista enviou seus discípulos a Jesus para lhe perguntar se ele era o Cristo prometido ou o Salvador do mundo, Jesus lhes mostrou como podia curar o cego, o paralítico, o enfermo e o moribundo. Em seguida, ele mandou os discípulos de volta a João, para dizer-lhe que o poder sanador do Espírito é o Cristo, enviado por Deus.

Os profetas Moisés, Elias e Eliseu e os discípulos de Jesus, todos curavam e ressuscitavam pessoas, por intermédio do mesmo poder sanador do Cristo. Ademais, Jesus disse que todo aquele que seguisse seus ensinamentos, poderia curar como ele o fazia e, até mesmo, fazer obras maiores. Seu Sermão do Monte explica os dois maiores mandamentos, que constituem o fundamento de toda cura: amar a Deus, o Espírito, supremamente e amar o próximo (até mesmo os assim-chamados inimigos) como Deus os ama.

A mulher que descobriu esse sistema científico de cura, Mary Baker Eddy, disse que Jesus foi o homem mais científico que já viveu, porque “ele penetrava por baixo da superfície material das coisas e encontrava a causa espiritual” (verCiência e Saúde, p. 313). Ela chamou sua descoberta de Ciência do Cristo ou Ciência Cristã, porque a obra de cura de Jesus estava inteiramente fundamentada na lei, ou seja, nas leis de Deus, da Vida, da Verdade e do Amor. Essas leis de inteireza e perfeição são encontradas na Bíblia em Gênesis 1, que diz que tudo o que Deus fizera era muito bom e que Deus criara cada um de nós, homem e mulher, à imagem e semelhança divinas: bons, puros, sãos, perfeitos.

Essa é a Ciência da cura pela Mente, Mente esta que significa Deus, o Espírito, o Princípio do universo, inteligente, criativo, que governa, mantém e protege Sua criação eternamente. A Sra. Eddy diz: “Como Deus é Tudo-em-tudo, Ele fez a medicina; essa medicina, porém, era a Mente. Não poderia ter sido a matéria, que se aparta da natureza e do caráter da Mente, Deus” (Ciência e Saúde, p. 142).

Por ser uma Ciência, suas leis divinas de perfeição e saúde podem ser estudadas e aplicadas por qualquer um, para descobrir que a saúde é o estado natural da criação de Deus.

No emblema que consta no livro-texto Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras e nas revistas da Ciência Cristã, a Sra. Eddy cita o mandamento de Jesus a seus seguidores: “Curai enfermos, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expeli demônios” (Mateus 10:8).

Se a criação de Deus é tão boa e Deus é tão poderoso, por que existe tanto sofrimento no mundo?

Quando jovem, a Sra. Eddy se empenhou em pesquisar essa questão por um longo tempo. Ela era uma cristã devota, que amava a Bíblia, mas não podia compreender por que aparentemente não havia nenhum tratamento material confiável e por que parecia que, algumas vezes, até mesmo as orações das pessoas falhavam. A resposta veio após um grave acidente, em uma ocasião em que ela própria se defrontava com um prognóstico de morte feito pelo médico ou, pelo menos, de invalidez permanente. Ao invés de confiar no tratamento que o médico lhe recomendara, volveu-se inteiramente a Deus, o Espírito, em busca da cura. Enquanto lia relatos das curas de Jesus, ela compreendeu que não é da vontade de Deus que tenhamos de sofrer, mas que Deus nos dá o poder de curar. Ela recuperou totalmente a saúde.

Durante esse período, descobriu que a natureza mental do sofrimento, que é o medo, a ignorância e o pecado, deixa nosso pensamento vulnerável à sugestão hipnótica de que o sofrimento é inevitável. A ignorância a respeito de Deus, a crença de que Ele envia o sofrimento para nos punir, ou ainda acreditar que um determinado problema físico seja difícil demais para curar, se contrapõe ao fato de que Deus, o Amor infinito, é incapaz de causar sofrimento. A Bíblia ensina que não existe nada difícil para Deus, que cura todas as enfermidades (ver Salmo 103, Jeremias 46:11, 32:27, 17; 30:17).

A compreensão de que Deus, o bem, nunca causa ou permite a discórdia ou a doença, sob qualquer forma, e de que Ele é Tudo-em-tudo, o único poder e presença, traz a cura. Essa é a atividade do Cristo, falando à consciência humana, destruindo o medo, a ignorância e o pecado, e revelando nossa verdadeira natureza como os amados filhos de Deus. Essa é a dádiva da descoberta de Mary Baker Eddy.

Que grande dádiva para legar aos nossos filhos, ou seja, a compreensão de que o Cristo sanador está sempre presente, sempre falando a cada um de nós, de tal maneira que nossos filhos nunca podem estar sozinhos. Quando criança, achava isso tão confortador e tive muitas oportunidades de orar para mim mesma, com resultados muito rápidos! Um exemplo foi quando estava com oito anos, em um acampamento juvenil, longe de casa. Fui mordida por centenas de abelhas, por todo o rosto e corpo.

No momento em que isso aconteceu, fiquei muito calma, porque me lembrei de um versículo da Bíblia: “aquietai-vos e sabei” que Deus está aqui. O medo se foi de repente. A mensagem do Cristo falou imediatamente comigo, lembrando-me de que Deus criou tudo muito bom, incluindo as abelhas, portanto elas não poderiam me ferir e eu não poderia lhes causar dano. Então, lembrei-me de um trecho deCiência e Saúde que aprendera na Escola Dominical: “Deus está em toda parte, e nada afora Ele está presente ou tem poder” (p. 473). Compreendi que Deus não cria a dor ou o sofrimento, portanto, eles não poderiam estar presentes. A dor desapareceu e as abelhas fugiram. Na manhã seguinte, quando meus pais chegaram, não havia nenhum inchaço ou febre. Eu estava completamente curada!

Esse sistema de cura confiável foi ainda mais confortador para mim, como mãe, porque nunca desejei que meu filho sofresse, nem por um momento. A Ciência Cristã me proveu de um método sanador que está à altura de qualquer emergência e é a medicina preventiva mais eficaz disponível. Está evidente para mim a razão pela qual a Sra. Eddy disse que a Ciência Cristã é o Consolador prometido por Cristo Jesus e é também muito confortante saber que nem nós, nem nossos entes queridos, podemos jamais estar separados do poder sanador de Deus.

Mary Baker Eddy escreveu que o Apóstolo Paulo resumiu assim o sistema completo da cura pela Ciência Cristã: “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus… Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte” (ver The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e vários escritos], p. 113).

Condenação significa sentença final, inútil, pronto para ser destruído, tal como um edifício condenado, porque está se deteriorando. A doença é uma condenação. Condenação também significa incurabilidade. Paulo nos assegura que não existe nenhuma incurabilidade para aqueles que mantêm seus pensamentos em Cristo, a verdaderia compreensão da Vida como inteiramente espiritual e da nossa união com essa Vida divina.

O “inclinar-se para a carne” significa confiar no falso testemunho dos cinco sentidos físicos ou em uma visão material da criação, que sempre apresenta o homem como sujeito à doença, ao acidente, ao envelhecimento, ao ódio, à sensualidade e à desonestidade.

Paulo nos fala que devemos ter a Mente do Cristo, ou seja, trazer nossos pensamentos em linha com Deus, ter uma visão espiritual a respeito da Vida, não material. A mensagem do Cristo a respeito da origem do homem espiritual e sua união com Deus é o que nos liberta do pecado, da doença e da morte, nos liberta do falso veredicto de incurabilidade. Nada é difícil demais para Deus!

Quando minha mãe estava com mais de 75 anos, ficou muito doente. Ela estava trabalhando em período integral, mas o problema físico piorou tanto que teve de abandonar seu trabalho e até mesmo perdeu a capacidade de cuidar de si mesma. Isso continuou durante meses e parecia que talvez falecesse. Contudo, ela se recusou a ceder à sugestão de que os filhos de Deus estão sujeitos à doença, à deterioração, ao envelhecimento ou à morte. Ela havia comprovado muitas vezes que Deus, Espírito, é nossa única Vida e, quanto mais aprendemos acerca da Vida divina, mais liberdade, flexibilidade, saúde e força deveríamos demonstrar em nossa vida.

A Sra. Eddy explica no capítulo intitulado: “A Prática da Ciência Cristã” em Ciência e Saúde: “Quanto mais difícil parecer a condição material a ser vencida pelo Espírito, tanto mais forte deverá ser nossa fé e tanto mais puro nosso amor” (p. 410). Minha mãe estava determinada a obedecer ao Primeiro Mandamento, a confiar em Deus, o Espírito, como a única Vida e o único poder, e a não duvidar nem pesar a opinião humana, não importa quão reverenciada ela fosse, na mesma balança com a lei divina.

Ela também compreendeu que, se Deus é o próprio Amor, então devemos trazer nossos pensamentos em linha com o Amor divino, para sentir o poder e a presença sanadores do Amor do Cristo. Ela orou por mais paciência, gratidão e humildade. Quando fez isso, ela ficou completamente curada e voltou ao trabalho com mais domínio e força do que antes. Ela continua a trabalhar em tempo integral agora, uma década depois, ajudando muitas pessoas a descobrir seu direito à saúde, dado por Deus, por intermédio desse sistema científico de cura pela Mente.

A Ciência do Cristo ou Ciência Cristã é um sistema confiável de tratamento de saúde? Com certeza! Além disso, essa Ciência é um sistema universal disponível a todos, exatamente agora e para sempre!

Fonte: http://pt.herald.christianscience.com/shared/view/1abi9s96sbe?s=f

Acesso em 07/04/2013

Anúncios

Sobre Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS

A Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS, Brasil, foi fundada em 1957. Tendo sido iniciada décadas antes como um Grupo Informal e mais tarde, uma Sociedade de Ciência Cristã. Ela foi fundada por famílias de alemães, dentre as quais: Schmidt, Holderbaum, Trentini, Bopp, Mutzberg, Young, Klein, Hamman, Knor, Bier, Beier, Wendt, Völker, Fhurmeister, Heckrath, etc... Conheça mais sobre a historicidade no Arquivo Histórico Digital da Ciência Cristã no Brasil: http://sites.google.com/site/arquivocienciacrista/
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s