A energia renovável vem da fonte divina

Crédito: Kristen Bullock

Robert Bullock

Em um mundo que se confronta com a incerteza do suprimento de recursos, inúmeros países, organizações e, até mesmo, as pessoas estão se preocupando mais com o abastecimento energético e a segurança. As reservas de combustível provenientes do petróleo estão diminuindo enquanto que a demanda aumenta continuamente.

Ao longo dos últimos invernos, jornais europeus têm noticiado a disputa entre as empresas prestadoras de serviços públicos e seus consumidores a respeito das restrições ao uso de energia, envolvendo a reação indignada do público a essas exigências. Um abismo político está se abrindo entre essas empresas com reservas de suprimento, as empresas que controlam a logística do suprimento, e os consumidores que compram energia para aquecer suas casas e para operar seus negócios. Preocupadas com essa tendência, algumas pessoas estão tomando providências no sentido de se tornarem mais independentes da energia e de confiarem mais em recursos renováveis.

Não admira que a questão do abastecimento de energia esteja agora no topo da agenda política internacional. Entretanto, tenho me perguntado se a solução não reside na demonstração de cada um para expressar mais da inteligência dada por Deus.

A provisão é infalível somente quando consideramos Deus como sua fonte. 
A Ciência Cristã leva o conceito de suprimento a um nível muito mais profundo, até sua dimensão espiritual como a comunicação de ideias, pensamentos, discernimento e inspiração, provenientes de Deus. De uma coisa tenho certeza: a provisão é infalível somente quando consideramos Deus como sua fonte.

A certeza da provisão divina é tão fundamental aos ensinamentos da Ciência Cristã que esta declaração ocupa um lugar de destaque nas paredes de suas inúmeras igrejas ao redor do mundo: “O Amor divino sempre satisfez e sempre satisfará a toda necessidade humana” (Ciência e Saúde, p. 494). Por meio do estudo da Ciência Cristã, cheguei à conclusão de que o suprimento de nossas necessidades está sempre assegurado, tendo em vista que Deus é Espírito e, portanto, infinito. Como filhos e filhas de Deus, temos de refletir qualidades espirituais infinitas.

Cristo Jesus provou a realidade do cuidado abundante de Deus, nunca restrito pelas condições ou limitações materiais. Em mais de uma ocasião, Jesus alimentou milhares de pessoas com uns poucos pães e peixes (ver Marcos 6:36–44). Esses acontecimentos, de um ponto de vista material, foram considerados milagrosos, porém tidos como eventos naturais quando vistos sob uma perspectiva espiritual.

Precisamos nos volver à convicção espiritual de que Deus pode satisfazer a toda necessidade humana
Após a ressurreição de Jesus, seus seguidores estavam pescando sem resultado, até que o Mestre apareceu e lhes disse: “Lançai a rede à direita do barco e achareis” (João 21:6). Quando obedeceram a essa orientação e lançaram suas redes uma segunda vez, elas foram retiradas transbordantes de peixes.

Entretanto, é importante notar que a lição que os discípulos aprenderam naquela ocasião foi muito mais do que uma nova estratégia para apanhar uma porção maior de peixes, embora sem dúvida estivessem muito gratos pela pesca abundante! Agora, os discípulos precisariam fazer muito mais do que pescar de uma forma diferente. Jesus esperava que eles lançassem suas afeições para o “lado” de um Deus todo amoroso, e bem longe do que os sentidos materiais estavam sugerindo sobre recursos limitados. Devemos fazer o mesmo com as exigências que recaem sobre nós hoje, volver- nos à convicção espiritual de que Deus pode satisfazer a toda necessidade humana.

Um poema publicado no Christian Science Sentinel, intitulado “A neve que cai de um céu límpido” (edição de 15-22 de janeiro de 2007), chamou minha atenção e inspirou minhas orações para a questão da provisão divina. O poema descreve o maravilhoso e extraordinário fenômeno da neve que cai de um céu azul sem nuvens, ilustrando como o suprimento, que provém da nossa confiança em Deus, parece não ter lógica alguma nem origem materiais, pois ele está além do que os finitos sentidos físicos podem perceber.

O desenvolvimento de fontes de energia renovável está conquistando cada vez mais espaço
Eis aqui um exemplo de como esse conceito pode ter uma aplicação prática. Onde moro, no sudeste da França, a maioria das casas é aquecida com fogões ou fornos, que funcionam com lenha proveniente de pequenos bosques locais, cujas árvores, na maioria carvalhos, são cortadas a intervalos regulares e novos brotos são produzidos a partir dos antigos troncos. Essa prática antiga envolve habilidade e conhecimento, que são transmitidos de pai para filho. Os madeireiros selecionam as árvores mais adequadas, e sabem exatamente o local para o corte no tronco e a maneira correta de fazê-lo.

Para o olhar não treinado, parece que eles estão cortando completamente as árvores. Mas dentro de poucas semanas, quando os dias ficam mais quentes, os brotos aparecem. De maneira surpreendente, dentro de três ou quatro meses, os novos ramos chegam a ter de dois a três metros de altura. Parece que ninguém planta novas árvores, mas que simplesmente se continua cortando as já existentes. Por meio do conhecimento acumulado e específico, bem como de um senso de tutela, essa fonte de combustível provou ser verdadeiramente renovável.

Em uma escala global, o desenvolvimento de fontes de energia renovável está conquistando cada vez mais espaço. Um artigo publicado em um jornal analisou a “energia solar concentrada”, uma fonte abundante de energia limpa (Ashley Seager, “Como os espelhos podem iluminar o mundo”, The Guardian, novembro de 2006).

Deus supre ideias que desafiam a limitação
O governo alemão vem colaborando com autoridades do norte da África a fim de considerar o desenvolvimento de um local no deserto do Saara que, quando em funcionamento, poderia suprir energia de baixo custo para toda a Europa e o norte da África. Eis um exemplo de esforço compartilhado, abençoando a todos os envolvidos, evidência de que o amor fraternal pode motivar os empreendimentos comerciais.

O desejo de me aproximar cada vez mais de Deus e perceber Seu amor imutável e abundante, tem me inspirado a orar diariamente, a fim de ver, de uma maneira mais clara, que Ele de fato atende a cada uma de nossas necessidades, Ele supre ideias que desafiam a limitação, e esse suprimento atende também à necessidade que o mundo tem de energia.

Mary Baker Eddy captou esse senso de compartilhamento e tutela, quando escreveu: “Os ricos em espírito ajudam os pobres numa grande fraternidade, em que todos têm o mesmo Princípio, ou Pai; e bem-aventurado é aquele homem que vê a necessidade de seu irmão e a satisfaz, buscando o seu próprio bem no bem que proporciona a outrem” (Ciência e Saúde, p. 518). Existe uma lei divina no âmago dessas palavras, uma ordem que estabelece o fundamento para uma mudança de atitude com relação ao meio ambiente e aos nossos semelhantes.

O Espírito é todo o poder e toda a provisão, e a verdadeira energia é inteiramente espiritual
Esse mesmo livro me faz lembrar que “O Amor nos inspira o caminho, ilumina-o, no-lo designa e nele nos guia” (Ibidem, p. 454). À medida que compreendermos o fato de que Deus, que é Amor, cria e mantém tudo em completa harmonia e, à medida que esse fato se tornar o âmago do nosso pensamento e da nossa motivação, então o amor real, espiritualmente fundamentado, fluirá de forma natural em nossa vida diária. Seremos guiados a tomar medidas adequadas para viver com mais responsabilidade. Seremos levados a expressar em nossa própria vida a tutela que Deus tem pela criação, e dar os passos necessários para contribuir com a sustentabilidade dos recursos naturais. Entre essas medidas, pode ser que esteja o uso de energias renováveis e a reciclagem, gerando menos resíduos e tornando nossos lares e carros energeticamente mais eficientes. Talvez possamos também estimular os governos a adotarem políticas de energia sustentável. Entretanto, o fundamental e o que impele o desenvolvimento de fontes de energia disponíveis universalmente é a terna certeza de que Deus é poder. De fato, o Espírito é todo o poder e toda a provisão, e a verdadeira energia é inteiramente espiritual.

Estas palavras se tornaram para mim uma oração em prol do planeta: “Sintamos a energia divina do Espírito, que nos leva à renovação da vida e que não reconhece poder algum, mortal ou material, como capaz de praticar alguma destruição” (Ibidem, p. 249). O suprimento ilimitado de Deus, de ideias espirituais e mais elevadas, é o único recurso renovável seguro. À medida que a humanidade discernir essas ideias, perceberemos o suprimento de energia disponível, sempre que necessário, de forma progressivamente benigna e sem afetar o direito de todos à abundância e à harmonia. Afinal, Deus ama a todos nós de modo equitativo e completo!

Robert mora em Hanc, França.

 Fonte: http://www.arautocienciacrista.com/arauto/articles/0611a.jhtml
Acesso em: 24/03/2013
Anúncios

Sobre Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS

A Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS, Brasil, foi fundada em 1957. Tendo sido iniciada décadas antes como um Grupo Informal e mais tarde, uma Sociedade de Ciência Cristã. Ela foi fundada por famílias de alemães, dentre as quais: Schmidt, Holderbaum, Trentini, Bopp, Mutzberg, Young, Klein, Hamman, Knor, Bier, Beier, Wendt, Völker, Fhurmeister, Heckrath, etc... Conheça mais sobre a historicidade no Arquivo Histórico Digital da Ciência Cristã no Brasil: http://sites.google.com/site/arquivocienciacrista/
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s