A insustentabilidade ambiental do atual consumismo

(*) Ovidio Trentini – webinsider convidado!

Compre menos, viva mais!

Paul Gilding*  é um escritor e ambientalista australiano que mora nos EUA que vem apregoando o fim do mundo consumista como hoje o conhecemos. Chama a atenção para as diferenças sociais e econômicas geradas pelo modelo atual que copia o modelo americano. Quando o mundo tiver “7 bilhões de habitantes”, diz ele, “não haverá produtos suficientes para todos, ainda que  tenham recursos para a aquisição”. A felicidade da humanidade só será possível se os povos e pessoas mudarem seus hábitos de consumo.

Ele alerta para a grande dependência do transporte para fazer os produtos chegarem a todos os recantos do mundo numa economia globalizada. Como modelo econômico, isso é um fracasso. Temos que pensar em  outros modelos para não depender tanto de transporte cuja vitalidade está atrelada ao petróleo com sua pesada quota de poluição e limitadas reservas mundiais. A melhor economia é a que não depende só de um fator. A diversificação é fundamental; diversificação de consumo e de produção. Quanto antes o mundo pensar em mudar de modelo de consumo tanto melhor será nossa vida no futuro. Acho que é do autor a frase: “Compre menos, viva mais!”

Relatou Gilding que há nos EUA um grupo de pensadores, incluindo alguns ex-ministros, planejando criar em cada Estado uma cidade que seja auto-suficiente na produção e no consumo de subsistência. Todo o planejamento para tal fim é complexo, pois inclui fatores sociais, culturais, econômicos, ambientais e temporais.  Os fatores de mudança sócio-cultural são os mais imprevisíveis pois exigem que a comunidade se submeta a uma mudança de hábitos de consumo e produção. Cada célula social (a família) buscará produzir os insumos alimentares que irá consumir; terá de deixar de simplesmente ir comprar o que necessita. Mas, segundo o autor, será uma sociedade mais feliz, pois haverá menos diferenças no seio da comunidade e menos descontentamento generalizado. Será uma sociedade melhor do que temos hoje.

Tento imaginar uma cidade como Panambi se engajando num plano semelhante de auto-suficiência. Utopia? Não apenas, exercício de inteligência. Quantas coisas precisaríamos mudar? Por onde começar?  Como conquistar a cooperação das pessoas? O que mudaria na estrutura administrativa do município? A cultura social comportaria mudanças rápidas? Os cidadãos ficariam mais felizes? A produção industrial, como ficaria? Os desafios não seriam pequenos e exigiriam muitas negociações e acertos bilaterais. Mas com certeza haveria um forte sentimento de comunidade e de proximidade entre as pessoas. Este fato seria um forte incentivo para a tentativa.

Por que não se cria um grupo para exercitar a mente a encontrar tal desafio? Sem nenhum compromisso, mas os debates poderiam fomentar o surgimento de idéias factíveis e práticas. Alguém poderia comentar: “Mas esse grupo de debates já existe. Chama-se Agenda 21.” O Poder Executivo local deixou de fomentar a criação desse grupo em nossa comunidade. Está na hora de reativá-lo. Em Panambi o MoVer (Movimento Verde)  seria, com certeza, um parceiro para os debates.

.o0o.

Artigo abordando o tema na mídia nacional: ‘É o fim da economia como a conhecemos’, diz Paul Gilding  (31.10.2012)

(*) Colaboração de Ovídio Trentini – Panambi -RS |  Membro Conselho do Meio Ambiente de Panambi-RS, Presidente da ONG ARPA-Fiúza, | Engenheiro Civil UFRGS – Especializado em Engenharia de Tráfego |  Aposentado da TRENSURB – Membro da Primeira Igreja de Cristo, Cientista, Porto Alegre-RS | Membro de A Igreja Mãe, Boston, MA, EUA |  E-mail: o.e.trentini@express.com.br
Imagens linkadas da Web | Foto do autor do post: Crédito de Flávio Colombini SP
Anúncios

Sobre Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS

A Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS, Brasil, foi fundada em 1957. Tendo sido iniciada décadas antes como um Grupo Informal e mais tarde, uma Sociedade de Ciência Cristã. Ela foi fundada por famílias de alemães, dentre as quais: Schmidt, Holderbaum, Trentini, Bopp, Mutzberg, Young, Klein, Hamman, Knor, Bier, Beier, Wendt, Völker, Fhurmeister, Heckrath, etc... Conheça mais sobre a historicidade no Arquivo Histórico Digital da Ciência Cristã no Brasil: http://sites.google.com/site/arquivocienciacrista/
Esta entrada foi publicada em COMPRE MENOS VIVA MELHOR, CONSCIÊNCIA AMBIENTAL, CONSCIÊNCIA SOCIAL, CONSUMISMO, NOVO PARADIGMA ECONÔMICO, PAUL GILDING, SUSTENTABILIDADE com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s