ECOLOGIA DO CRISTÃO

Ovidio Trentini* 

São Francisco de Paula - RS

É cada vez maior a legião de pessoas que se ocupam ou preocupam com o ambiente natural, tanto nas cidades como nos campos. Nada mais alentador para a espécie humana. Ah, se todo mundo fosse igual a você que se inclui nesse rol de pessoas interessadas em melhorar nosso mundo! Isso é tão necessário! Nos dias de hoje, chega a ser crítico e impostergável; poucos ainda são motivados a ações práticas que levem a soluções, mesmo que parciais, lamentavelmente. Urge que as mãos interessadas em trabalhar colaborativamente para o bem da humanidade mantenham-se pró ativas.  

Nessa campanha pela sustentabilidade ambiental, um caráter cristão genuíno é o melhor instrumento individual de ação com e sem a comunidade. Com a comunidade através de entidades ambientalistas, que já tenham mostrado idoneidade. Sem a comunidade, quero dizer, sem esperar que a comunidade se organize em campanhas. O indivíduo engaja-se na luta pela natureza e sua preservação, desde o momento em que pensa no assunto com amor cristão, não só na expectativa do bem para si mesmo, mas também aos outros. É uma questão de postura pessoal, uma questão de foro íntimo. É aqui que um caráter cristão coopera solidariamente com as melhores práticas.  Senão, vejamos: 

Um cristão busca nas Sagradas Escrituras orientação para sua linha de pensamento e de conduta.  Em assim agindo, encontrará no livro do profeta Isaías (45:18) um versículo muito interessante:  “Deus formou a terra, e a fez;  ele a estabeleceu, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada”.  Na Concordância Bíblica, edição 1975, o verbete referente a vazia  é caos.  De fato, Deus criou “a terra, não para ser um caos”. Mas, não é isso que estamos presenciando em algumas regiões do globo terrestre? Estariam tais fenômenos tornando nosso planeta um caos?  Não por obra do divino Poder, mas pelo uso e abuso dos recursos naturais e a inconsequência humana, por exemplo de habitar em lugares de risco. A Bíblia ensina que os filhos de Deus incluem diligência e bom senso, e agem dentro dos preceitos divinos de uso racional dos recursos naturais e respeito à natureza. O relato da criação no livro do Gênesis, proclama que Deus “viu tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom” (1:31) — logo, perfeito e não caótico. 

Interessante que a Bíblia menciona outro verbete moderno: poluição.  No livro de Jeremias (3:9) a questão poluição ou contaminação está ligada a um comportamento imoral.  Lemos: “Com sua prostituição, poluiu a terra”, ou contaminou-a. Será que os modernos agentes poluidores, grandes ou pequenos, coletivos ou individuais, não poderiam ter seu comportamento declarado imoral, ou amoral diante da sociedade?  À luz das Sagradas Escrituras, responderíamos que sim.  Todo ato poluidor, toda produção poluidora (industrial ou agrícola), é fruto de impensada ação quanto aos efeitos devastadores em relação à natureza, ou ao meio ambiente.  É, pode-se dizer, um descaso com o bem público e com os outros – todas as formas de vida do planeta.  A poluição individual, leva à poluição coletiva.  A purificação individual leva à purificação coletiva.

Crédito Ibarakaldo

A ponderação de Mary Baker Eddy, em Escritos Miscelâneos (pg. 330) é muito oportuna: “A esperança e a fé humanas deveriam unir-se à grandiosa harmonia da natureza.”

 Uma sociedade com valores cristãos, prova por suas obras que faz jus ao cristianismo prático! Conforme nos ensinou o Mestre, Cristo Jesus, uma boa árvore, se conhece pelos seus frutos. Cada ação individual consciente, cada oração, é bem-vinda, pois é agente para as melhores práticas que impactam na saúde do meio-ambiente, seja ela o pátio de nossas casas, nossas ruas, nossas cidades e nosso imenso Brasil, considerado o “pulmão do mundo”!

Crédito foto: Flávio Colombini

 *Assistente  do Comitê de Publicação da Ciência Cristã no interior do RS | Ambientalista Membro Conselho do Meio Ambiente, Arpa-Fiúza, Rotary, Comitê Rio Ijuí | Cientista Cristão Membro fundador da Primeira Igreja de Cristo, Cientista, Porto Alegre-RS | E.mail: o.e.trentini@express.com.br

Anúncios

Sobre Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS

A Primeira Igreja de Cristo, Cientista Porto Alegre-RS, Brasil, foi fundada em 1957. Tendo sido iniciada décadas antes como um Grupo Informal e mais tarde, uma Sociedade de Ciência Cristã. Ela foi fundada por famílias de alemães, dentre as quais: Schmidt, Holderbaum, Trentini, Bopp, Mutzberg, Young, Klein, Hamman, Knor, Bier, Beier, Wendt, Völker, Fhurmeister, Heckrath, etc... Conheça mais sobre a historicidade no Arquivo Histórico Digital da Ciência Cristã no Brasil: http://sites.google.com/site/arquivocienciacrista/
Galeria | Esta entrada foi publicada em Artigos Colaborativos de Cientistas Cristãos com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s